terça-feira, 28 de outubro de 2008

ORFANDIDADE

ORFANDIDADE

 

 

© DE João Batista do Lago

 

 

Fez-se-me o alvorecer

Duma manhã friorenta

Entrecortada de neblina

 

 

Os nós que me prendiam

Foram todos ablaqueados

E, então, vi-me pássaro

 

 

E voei sobre minha eternidade

E lá bem distante grunhi pensamentos

No silêncio da humanidade

 

 

Senti de todos os espíritos os lamentos

Passarem ligeiros como tufões

E os vi se transformarem em poeiras

 

 

E no encadeamento do grande eterno

Juntei todas aquelas leiras

E ungi meu corpo de sagração

 

 

E voei... voei... voei... voei...

Tão alto que me perdi no espaço

E pousei como um anjo no orfanato do sagrado

2 comentários:

André L. Soares disse...

João Batista do Lago, bom dia.


Fiquei muito surpreso com seu recado. Vim verificar e notei que, de fato, o endereço de seu blog está mesmo fora dos ‘Gritos Verticais’. Observando seu blog, notei também que o endereço da Rita Costa que consta ali é o endereço antigo (de um blog que já foi apagado).

Então, o que concluo é que fizemos a parceria há muito tempo. De lá pra cá troquei de ‘template’ diversas vezes e, provavelmente, em alguma delas, cometi algum erro e seu link não foi incluído em alguma das novas versões.

Veja: tem mais de 500 links em minha página. Portanto, seria plausível, vez por outra, cometer esse tipo de erro.

No entanto, espanta-me tanta agressividade de sua parte, por causa de algo virtual, que pode ser facilmente arrumado, sem que nenhuma das partes tenha que perder a elegância ou fazer ameaças.

Sou um homem de diplomacia, que tenta utilizar a palavra com educação e sempre de modo positivo. Para mim, os problemas, quaisquer que sejam eles, sempre podem tratados com educação. Ainda mais quando entre poetas.

Quanto à aprovação de cada comentário, isso é um direito meu e somente a mim cabe a decisão. Mas respeito sua opinião. Eu também não gosto de 'verificação de palavras', mas respeito - sem criticar – quem, igual o senhor, a utiliza.

Essa mesma resposta será colocada em meu blog, abaixo do seu recado, para que todos vejam como conversa o poeta João Batista do Lago; e, para que vejam também como respondo a isso.

Vou corrigir meu erro humildemente, reinserindo seu link, como faço sempre que erro. Afinal, sou humano (e até que erro pouco). Se você, diante de minha correção, vai agir como criança, aí é problema seu.

Já corrigi esse tipo de erro, sem maiores problemas. Do mesmo modo, já pedi educadamente que recolocassem meu link, ao que fui sempre prontamente atendido. Tudo em bom tratamento. Afinal, é apenas um link.

De minha parte, tenho a consciência limpa de que não houve má-fé. Mesmo porque, não permito que minha alma seja tão pequena a ponto de discutir por nada, ou de dar calote em ‘um link’.

Fico imaginando: quem é capaz de brigar por causa de um link, vai ser generoso com o quê?

Tenha um bom dia, Poeta!

Grande abraço.


André L. Soares.
.

André L. Soares disse...

Observação: aqui no seu blog não poderia mesmo haver problema de 'falta de respeito'. Para isso seria preciso que alguem estivesse lendo ou comentando seus poemas. E, pelo que vejo, só há... 'zero comentário', 'zero comentário', 'zero comentário',...

Passar bem!